Componentes da Biodiversidade, e seus Caracteres Metabólicos, de Ilhas do Brasil – Uma Abordagem Integrada

Pesquisadores participantes

Dr. André Gustavo Tempone Cardoso – Instituto Adolfo Lutz, São Paulo

Dr. Edson Rodrigues-Filho – Departamento de Química, UFSCar

Dra. Simone P. de Lira – Escola Superior de Agronomia “Luiz de Queiróz”, USP Piracicaba

Dra. Rosangela S. Oliveira – Instituto Adolfo Lutz, São Paulo

Dra. Daniella Trivella – Laboratório Nacional de Biociências, CNPEM, Campinas

Dr. Fabiano L. Thompson – Instituto de Biologia, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Dr. Amaro E. Trindade-Silva – Faculdade de Tecnologia e Ciências, Salvador, BA

Dr. Fernando Andreote – Escola Superior de Agronomia “Luiz de Queiróz”, USP Piracicaba

Dr. Eduardo Hajdu – Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Dra. Rosana Moreira da Rocha – Instituto de Biologia, Universidade Estadual do Paraná

Dr. Vinícius Padula – Zoologische Staatssammlung München, Munique, Alemanha

Dr. Ruy Jose Valka Alves – Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Dr. Leandro Manzoni Vieira – Centro de Biologia Marinha, Universidade de São Paulo

Dr. Antonio G. Ferreira – Departamento de Química, Universidade Federal de São Carlos

Dr. Raymond J. Andersen – University of British Columbia, Vancouver, Canada

Dr. David H. Sherman – University of Michigan, Ann Arbor, Estados Unidos da América

Dr. Simon L. Croft – Faculty of Infectious and Tropical Diseases, London School of Hygiene & Tropical Medicine

As ilhas representam cerca 5% da cobertura terrestre do planeta com uma biodiversidade extremamente particular, sendo consideradas verdadeiros microcosmos dos continentes. O ambiente natural das ilhas é frequentemente caracterizado por apresentar um grande número de espécies endêmicas, particularmente vulneráveis. Por isso, deve ser ressaltada a importância do conhecimento da biodiversidade de ilhas para sua conservação. A biodiversidade marinha da costa oeste do Atlântico Sul ainda é essencialmente desconhecida. Os impactos antropogênicos observados na região costeira do Brasil são de intensidade crescente. As ilhas costeiras e oceânicas do país apresentam ambientes marinhos submersos um pouco mais preservados do que os da costa. Levando-se em conta a diversidade de espécies ainda desconhecida destas ilhas, o estudo da sua biodiversidade é absolutamente imperativo, e deve ser realizado conjuntamente com atividades sustentadas de bioprospecção. O presente projeto objetiva realizar levantamentos faunísticos associados a estudos de biodiversidade, taxonomia, filogeografia, bioprospecção, microbiologia e análises metagenômicas. Particular ênfase será direcionada ao levantamento e descrição de espécies de invertebrados em locais de coleta ainda pouco conhecidos, ao isolamento de linhagens microbianas “exóticas” através de diferentes abordagens de crescimento em meios de cultivo, de obtenção de metabolitos bioativos inéditos, utilizando-se de ferramentas de desreplicação e de metabolômica (UPLC-UV-MS/MS), e o estudo de casos específicos de interação micro-organismo/macro-organismo que possam estar relacionados à expressão do metabolismo de uma ou ambas as partes, fazendo uso de técnicas de metagenoma associada à metabolômica de grupos biológicos específicos.

Projeto integrante do Programa BIOTA-FAPESP, sub-programa BIOprospecTA

Financiamento: FAPESP

Vigência: 2014 – 2019

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.